quinta-feira, 2 de julho de 2009

Discussões sobre educação na Semana de Planejamento na Fazu

Na Fazu, o início das férias significa pausa apenas para os alunos, porque os coordenadores e professores ainda estão trabalhando nas atividades da Semana de Planejamento. Nestes dias, vários encontros são promovidos para que os docentes troquem experiências e discutam assuntos pertinentes ao ensino superior. Oficinas, reuniões e palestras fazem parte do cronograma, que se estende até terça-feira (07).

A especialista em supervisão pedagógica com ênfase na gestão colaborativa, Helena de Castro Cury Abud, foi convidada para falar sobre o tema "Viabilidade da gestão colaborativa", que teve a participação da maioria dos professores presentes. 

Helena afirma que reuniões como essas são imprescindíveis para o crescimento do grupo e, principalmente, para que ele se torne mais coeso nas ações. Para ela, os debates entre professores enriquecem a vivência com os alunos e indica caminhos para que o professor continue estudando não só com pesquisas da área em que atua. "Que faixa etária se tem no início da faculdade? Como está o panorama da juventude hoje? Discutir sobre isso, faz com que todos entendam o que se passa e como se processa a aprendizagem nessa idade de 18 anos", diz.

A interdisciplinaridade também foi citada durante a palestra, e a especialista concorda que o professor tem que estar atento aos assuntos paralelos à disciplina que podem auxiliar na contextualização da aula. Ela também entende que o professor deve olhar para o aluno a fim de criar um vínculo, não de amizade, mas de confiança. "A afetividade é inerente à educação. Afetividade é criar vínculo de confiança, de lealdade, de firmeza. Se você for firme ele acredita na sua proposta", ressalta. Para ela, o aluno precisa sentir que o professor é estudioso, é competente, que o professor sabe interligar conteúdos.

E a instituição também tem um papel fundamental na hora de contratar professores. Helena explica que o docente tem que conhecer a proposta, estar alinhado com a filosofia de onde ele vai trabalhar. "Temos que fazer entrevistas, com psicólogo, com os recursos humanos, para ver o perfil, o tipo de vida, conhecer a pessoa. Temos que conhecer quem vai lidar com nosso aluno", considera.

A coordenadora de ensino, Márcia Velludo, que organizou as atividades no período diurno afirma que é um momento de reflexão, de onde todos têm oportunidade de traçar objetivos, através de ações comuns, que visam estimular a qualidade do ensino.

 
Monica Cussi
Assessoria de Comunicação
FAZU 


--
farolcomunitario | rede web de informação e cultura