sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Hospital Hélio Angotti passa a integrar rede Pro-Hosp

Hospital Hélio Angotti é referência no tratamento oncológico na região / Divulgação/Secom MG

O Hospital Hélio Angotti, em Uberaba, Triângulo Mineiro, já recebeu os primeiros repasses do Programa de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais (Pro-Hosp), do Governo de Minas. A instituição é uma das quatro em todo o estado que passaram a fazer parte do Programa neste ano. Assim, a rede de hospitais beneficiados pelo Pro-Hosp inclui 132 unidades, localizadas em 105 municípios de todas as regiões de Minas.

Desde 2003, o programa já investiu R$ 45,5 milhões no Triângulo Mineiro, em hospitais de Uberaba e nas cidades de Uberlândia, Frutal, Ituiutaba e Araguari

Todos os hospitais da rede Pro-Hosp são contemplados com recursos para melhorar a qualidade da assistência, ampliar a capacidade de atendimento, reforma da infraestrutura, compra de equipamentos, modernização gerencial e custeio hospitalar.

Com média de 11,5 mil atendimentos por mês, o Hospital Hélio Angotti (HHA) é  referência no tratamento oncológico na região, sendo que cerca de 90% dos pacientes são atendidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). "O Pro-Hosp é de fundamental importância para a consolidação da instituição como centro de tratamento oncológico no Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba e Noroeste de Minas", diz o presidente do HHA,  Délcio Scandiuzzi.

Com os recursos do Pro-Hosp, o atendimento do Hospital Hélio Angotti será ampliado, evitando assim que muitos moradores precisem se deslocar para cidades do interior de São Paulo para buscar um tratamento mais especializado. "Já adquirimos equipamentos e medicamentos importantes e novos estão sendo viabilizados com os recursos já remetidos pelo Governo do Estado", destaca o doutor Scandiuzzi.

Expansão
Além do Hélio Angotti, foram incluídos também na rede Pro-Hosp, em 2012, os hospitais Odilon Behrens e Mário Penna, em Belo Horizonte, e o Cristiano Varella, em Muriaé, na Zona da Mata. As quatro instituições já receberam, juntas, um total de R$ 6,5 milhões.

De acordo com o coordenador do Programa, Tiago Lucas, a expansão da Rede se deu por meio da inclusão de hospitais que exercem papel regional e inter-regional relevante para o SUS, por sua participação imprescindível na resolubilidade de clínicas de especialidades estratégicas, tais como cirurgia neurológica, cirurgia e tratamento em oncologia, cirurgia ortopédica e cirurgia cardiovascular.

Segundo ele, o Pro-Hosp possibilita à população mineira atendimento hospitalar de qualidade e com resolutividade o mais próximo possível das residências dos cidadãos. "O objetivo é que o paciente se desloque o mínimo possível de seu município para receber assistência médica necessária, evitando ter que viajar ou ser transportado para os grandes centros ou para Belo Horizonte", explica Tiago Lucas.

Desde 2003, o Governo de Minas liberou cerca de R$ 700 milhões para unidades hospitalares, com recursos provenientes da Tesouro estadual. Apenas em 2011, foram aplicados R$ 115 milhões. Para 2012, a previsão de investimentos do Pro-Hosp é da ordem de R$ 130 milhões. Na região do Triângulo Mineiro, o programa já investiu, desde 2003, cerca de R$ 45,5 milhões em hospitais da própria Uberaba e nas cidades de Uberlândia, Frutal, Ituiutaba e Araguari.

Critérios para o repasse de recursos
A transferência de recursos do Tesouro estadual para os  hospitais beneficiados pelo Pro-Hosp leva em conta a população das macrorregiões e microrregiões (base de cálculo per capita) e também a realidade socioeconômica de cada uma, buscando atender ao princípio da equidade. Assim, nas áreas mais carentes – como nos Vales do Jequitinhonha, Mucuri e Rio Doce e nas regiões Nordeste e Norte de Minas – as unidades hospitalares recebem um valor per capita diferenciado, o quê, ao final, representa um maior volume de investimentos.

O Pro-Hosp se fundamenta em uma parceria entre o Estado e os hospitais públicos e filantrópicos que integram o Programa, com a participação dos gestores municipais, Colegiados dos Secretários Municipais de Saúde (Cosems-MG) e Conselhos de Saúde Municipal e Estadual. Por meio da Secretaria de Saúde de Minas Gerais, o Governo de Minas faz o repasse dos recursos, e as instituições se comprometem a cumprir metas assistenciais e gerenciais.

via Agência  Minas
--
INFORMAÇÃO | CULTURA | SERVIÇO