terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Ministério assegura recursos para hospital de Uberaba

Os recursos serão utilizados para aquisição de equipamentos para o hospital, além de garantir a implantação do SAMU Regional 

O Ministério da Saúde vai assegurar os recursos necessários para a implantação do SAMU Regional e a aquisição dos equipamentos para o Hospital Regional de Uberaba (MG). Esses são alguns dos resultados concretos para o Triângulo Mineiro que foram anunciados pelo secretário nacional de Atenção à Saúde, Helvécio Miranda Magalhães Júnior, durante o encontro Juntos pelas Redes – Saúde, com Acesso e Qualidade para Todos, que foi realizado na cidade, com a participação de 40 municípios.

O Hospital Regional de Uberaba, com 160 leitos (dos quais 20 de UTI), é referência para toda a Macrorregião Triângulo Sul, composta por 27 municípios que abrigam quase 700 mil habitantes. Eles também passarão a ser cobertos pelo atendimento móvel pré-hospitalar do SAMU.
 
Durante o evento, foram encaminhadas ao Ministério da Saúde várias solicitações de novos serviços e ampliação de outros já existentes. Os representantes da Secretaria de Atenção à Saúde visitaram unidades hospitalares da cidade de Uberaba e confirmaram a existência de demandas reais a serem atendidas.
 
"É fundamental para toda a região o Hospital e o SAMU Regional, que passam a integrar a Rede de Urgência e Emergência, desafogando os pronto-socorros e aumentando a oferta de leitos de retaguarda", disse Helvécio Magalhães.
 
O titular da SAS lembrou que com a UPA II, já em funcionamento, e a UPA III, que será entregue ainda neste ano, Uberaba irá receber aportes significativos, beneficiando toda a região.
 
Helvécio também confirmou ampliação dos repasses necessários para a implantação de equipes de atenção domiciliar e de Salas de Estabilização, iniciativas que contribuem para reduzir a pressão nas portas de atendimento dos hospitais. 
 
Segundo ele, o SAMU regional reforça a importância dos consórcios intermunicipais de saúde, como meio para viabilizar as centrais de regulação, que são fundamentais para as redes de Urgência e Emergência em todo o país.
Para mais de 130 presentes no encontro Juntos pelas Redes, Helvécio Miranda ressaltou a importância do planejamento regional na superação dos limites que cada município apresenta em seus sistemas locais de saúde. Ele esclarece que as redes temáticas vêm para equilibrar essas carências que se estendem há décadas.
 
Regiões interestaduais - Em junho de 2011, a presidenta Dilma Rousseff publicou o Decreto 7.508, que permite a reorganização das regiões de saúde, inclusive, nas áreas de fronteira.
 
"Não são regiões burocráticas. Por exemplo, no Triângulo, no Sudoeste e no Sul de Minas, temos uma forte interação com São Paulo. O decreto nos permite fazer uma região própria da saúde, inclusive interestadual."
 
O secretário disse que já está sendo feita uma experiência de Minas com o Rio de Janeiro, na Região da Zona da Mata Mineira, em que Além Paraíba e Muriaé atende municípios fluminenses e são ressarcidos.
 
"Esse tipo de interlocução com os gestores é muito importante, pois nos permite ouvir os problemas, as dificuldades que devemos levar em conta ao realizarmos as políticas públicas na área da saúde", disse.
 
Os representantes percorreram ainda as instalações dos hospitais Hélio Angotti, da Beneficência, da Criança e o das Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM).
 
César Luz | Agência Saúde
-- 
INFORMAÇÃO | CULTURA | SERVIÇO