sexta-feira, 9 de abril de 2010

Pachecão anima segundo dia do Meu 1º Negócio

Fotos Neuza das Graças
Professora Raquel Resende, gerente da Unitecne, faz abertura da palestra e dá boas-vindas a Pachecão

Para realizar sonhos é preciso sair da inércia, inovar, parar de fazer igual. A afirmação é do professor Pachecão, durante palestra que proferiu na cidade nesta quinta-feira (8), no anfiteatro C01 da Universidade de Uberaba (Uniube), integrando a programação do Meu 1º Negócio, evento promovido pelo Sebrae-MG.  Ele enfatizou que o cooperativismo é formado por pessoas que se unem para alcançar o que desejam. "Isso é ressonância, e o segredo de nosso sucesso está no relacionamento com as pessoas", frisou.

Pachecão, nascido José Inácio da Silva Pereira, na cidade de Laranjal, no interior mineiro, ainda menino tinha três sonhos: gravar um CD pela reconhecida gravadora Polygram, sob a direção do requisitado produtor musical, Marco Mazola; participar de um programa na Rede Globo e ganhar dinheiro exercendo a profissão de professor. Esses objetivos nortearam a vida do professor, que se tornou o mais famoso do Brasil. Garantiu não ter sido fácil e que demorou 25 anos para conquistar o seu primeiro negócio, realizar o seu primeiro sonho. "Temos que sonhar. Quando o homem quer alguma coisa ninguém segura", frisou.

Utilizando a física como repertório, Pachecão proferiu a palestra "Sucesso: A arte de realizar sonhos", no segundo dia do Meu 1° Negócio, em Uberaba. Em sua apresentação, o professor de física mostrou que as leis da natureza podem ser aplicadas no cotidiano dos negócios e na vida das pessoas. Citou a terceira Lei de Newton, da ação e reação, para falar de comportamento e sucesso nos negócios. "Quando você faz coisas boas para as pessoas, elas vão devolver com coisas boas", comentou.

Aproximadamente 300 pessoas, que lotaram o anfiteatro, ouviram Pachecão encerrar a palestra dizendo que os sonhos levam as pessoas onde elas querem chegar. E para realizá-los, ele ensina ser preciso sair da inércia, inovar, parar de fazer igual. "Temos que imprimir nossa marca naquilo que fazemos. No cooperativismo somamos pessoas, que se unem para alcançar o que desejam. Isso é ressonância, e o segredo de nosso sucesso está no relacionamento com as pessoas", finalizou.

Rose Dutra
Assessoria de Comunicação
Universidade de Uberaba (Uniube)

--
farolcomunitario | rede web de informação e cultura